Alimentos Afrodisíacos Naturais

Durante séculos, as pessoas tentam resolver o mistério da realização sexual. Em quase todas as civilizações, existem  ervas ou alimentos para aumentar a vitalidade sexual. No século da medicina moderna, foram desenvolvidos inibidores da PDE5 e medicamentos para testosterona que visam melhorar a sexualidade. Mas a busca por afrodisíacos “orgânicos” naturais, livres de efeitos colaterais, continua.

Até agora, não sabemos muito sobre os diferentes produtos naturais. Por exemplo, falta esclarecer se, por exemplo, a composição das substâncias processadas em pó possui e mesma eficácia que ela em natura. Porque em alguns casos, as flutuações na concentração de substâncias são significativas. Além disso, não há autoridades reguladoras controlando a composição.

Afrodisíacos à base de plantas naturais

Chocolate (cacau)

Até os astecas usavam o chocolate como um afrodisíaco. Segundo a lenda, o imperador Montezuma bebia chocolate para melhorar sua virilidade antes de visitar seu harém.

No chocolate, não existe apenas alguns aminoácidos de maior concentração, mas também ácidos graxos do tipo canabinóide, que dão propriedades afrodisíacas ao chocolate. Além disso, parece haver um link que aumenta o nível de serotonina do chocolate no cérebro. No entanto, o mito do aprimoramento sexual não pôde ser comprovado em estudos científicos recentes.

Damiana (Turnera Diffusa)

Damiana é um extrato de um arbusto nativo do México. Diz-se que aumenta o desempenho sexual em homens e mulheres. Estudos em animais mostraram que Damiana aumenta a frequência de cópula em ratos.

Feno-grego (feno-grego)

O feno-grego é usado na medicina ayurvédica para aumentar a libido. Estudos científicos demonstraram que a ingestão de 300 mg de feno-grego duas vezes ao dia pode aumentar a libido em homens e mulheres. Mas cuidado, os pacientes que tomam medicamentos para afinar o sangue devem saber que o feno-grego pode interagir com eles.

Ginkgo Biloba

O extrato de ginkgo biloba vem de espécie de árvore bem antiga e é muito utilizada na medicina tradicional chinesa. Ginkgo pode levar ao aumento do fluxo sanguíneo. Alguns estudos científicos mostraram uma melhora na sexualidade.

É importante que a ingestão de ginkgo seja interrompida algum tempo antes de uma cirurgia. Pacientes que têm a chamada doença hemorrágica também não devem tomá-la.

Marapuama

Esta erva brasileira ajuda na disfunção erétil e na perda da libido. Cientificamente, não há dados significativos disponíveis. Inclusive é um dos ingredientes do famoso Xtrasize.

Ficou curioso e quer saber mais sobre o Xtrasize? Leia a bula antes de comprar o produto e conheça seus principais ingredientes.

Inhame

A raiz do inhame é usada especialmente em mulheres na menopausa. Essa afirmação não possui dados científicos para comprovar, são apenas relatos de mulheres que fazem uso da raiz e afirma melhorar seu desejo sexual após consumir o alimento.

Vitaminas e minerais

Vitamina B6 e B12, vitamina D, vitamina E, magnésio e zinco estão envolvidos na síntese hormonal e produção de espermatozóides. Portanto, acredita-se que doses elevadas dessa suplementação resultem em uma melhora na sexualidade.

A vitamina B6 é importante para a produção de testosterona e estradiol, vitamina 12, especialmente para o sistema nervoso. A vitamina E é um antioxidante que tem um leve efeito vasodilatador. O magnésio está envolvido nos hormônios sexuais e na produção de neurotransmissores. O zinco é muito importante para a produção de testosterona nos testículos e para a espermatogênese.

Cientificamente, não se tem muita certeza sobre esses efeitos. Mas deve-se ressaltar que uma ingestão muito alta de vitaminas pode levar ao desencadeamento de tumores malignos no corpo! Portanto, deve-se ter muito cuidado ao tomar vitaminas em doses muito altas. É mais seguro comer alimentos que contenham essas vitaminas.

Leave a Comment